Vereador Cleuton Rolim vota contra projeto de empréstimo de R$ 35 milhões e afirma que bancada do PDT não tem união Featured

Foi aprovado por 13 votos favoráveis e apenas um contrário o projeto de lei nº 2.165/2021 onde o Executivo buscava autorização do Legislativo para que pudesse fazer tomada de empréstimo junto à Caixa Federal.

Com o plenário lotado, vereadores deliberaram sobre a matéria por mais de uma hora até a votação final que teve o voto contrário do vereador Cleoton Rolin(Beiço) do PDT. A partir da aprovação na casa legislativa, o prefeito Andrei Cossetin poderá contratar o empréstimo de R$ 35 milhões para realização de ações infra estruturais na cidade e interior e também proceder a aquisição de máquinas e implementos e investir R$ 10 milhões para a substituição total do sistema de iluminação pública em Ijuí, por lâmpadas de Led.

O vereador Cleoton Rolin, falou na Repórter sobre sua decisão de votar contrário a matéria. Disse que votou contra, por ter experiência vivida dentro do Demei onde atuou por mais de 20 anos. O legislador disse não ser contra o investimento de R$ 35 milhões, mas sim a forma com que os recursos serão aplicados e exemplificou o caso da iluminação pública.

“Eu sei que o material que irá sair da iluminação irá virar sucata, vão jogar isso numa viatura e largar em um lugar inadequado”, declarou ao salientar que sua posição era para que as lâmpadas da iluminação e todo o sistema fossem trocados gradualmente evitando o desperdício de material. “Em tempos de crise jogar fora todo esse material, será que alguém vai comprar isso e instalar em outro município? Eu acho que não!”, disse o vereador.

Sobre os debates e o posicionamento dos vereadores da bancada do PDT, alfinetou os pares trabalhistas afirmando que “Nossa bancada não tem união e isso deverá continuar assim nos próximos três anos”. Cleoton Rolin salientou que essa desunião ficará evidente já na eleição da mesa diretora da Câmara de Vereadores onde o acordo que já está firmado para os quatro anos da gestão dificilmente será quebrado.

“Não há conversa, dialogo. Cada um já tem seu voto definido nas matérias que passam pela casa. Alguns vereadores vão para a tribuna defender o governo, mas é preciso ter coerência e lembrar que foram eleitos pelo PDT”, disparou.

O vereador disse não ter medo de represálias ou retaliações e salientou ao ser indagado sobre a vaia que recebeu dos espectadores da sessão legislativa, por seu voto contrário à matéria, que não irá ceder a pressões ou intimidações. “Votei consciente e irei dormir tranquilo. Cheguei a ser vereador por minha conduta e pela índole da minha família. Quero ser lembrado não por ter medo de retaliação, mas sim por ter posição, por querer criar um Ijuí diferente”, finalizou.

Fonte- Grupo Repórter

Rate this item
(0 votes)

Deixe um comentário em nosso mural

Certifique-se de inserir todas as informações necessárias, indicadas por um asterisco (*). Código HTML não é permitido.